Blog Cofermeta

Conhecendo o mundo das câmeras Térmicas

O uso de câmeras digitais se popularizou a algumas décadas, com o crescente avanço tecnológico e o fácil acesso desses equipamentos, atualmente é possível obtermos excelente qualidade de fotos e filmagens a partir do nosso celular. Embora atualmente o principal uso dessa tecnologia seja para alimentar as redes sociais, ainda sim temos uma variedade de setores que se utilizam dela. Setores de segurança, produção audiovisual, medicina, engenharia, manutenção e outros.

Hoje vamos lidar com um tipo de câmera um pouco incomum ao grande público. A câmera térmica geralmente é destinada a uso profissional, podendo atender necessidade de variados setores.

De um aparelho feito exclusivamente para a medição termográfica, até celular com câmera térmica é possível encontrar no mercado uma variada gama de marcas e modelos. Aqui na Cofermeta trabalhamos com as marcas referências no mercado, Flir e Fluke. Para se ter uma boa ideia, abaixo segue algumas curiosidades sobre essas marcas:

Flir – Conhecida mundialmente por seus produtos voltados a visão, câmeras de aplicação industrial, defesa, marítimo, segurança pública, pesquisa e desenvolvimento e até mesmo ajudando a missões da NASA.

Fluke – Líder mundial no segmento de ferramentas de teste e medição. Sua linha de produtos é gigantesca, atendendo uma grande gama de setores. Fornece desde simples multímetros até equipamentos altamente tecnológicos para indústrias.

Frisamos essas marcas não pelo simples motivo de serem as marcas que comercializamos, mas sim porque ambas são referências no mercado de termovisão.

Como funciona a tecnologia de termovisão?

Para começarmos é preciso entender primeiro a luz de infravermelha. Assim como aprendemos na escola, o infravermelho é um espectro eletromagnético, da mesma forma como as ondas de rádios, o raio X e a própria luz visível. O olho do ser humano não consegue identificar algumas frequências como o próprio caso da luz de infravermelha. A questão é, quanto maior a temperatura de um objeto, maior é a radiação por ele emitida. E aí que mora o grande ponto dessa tecnologia. As câmeras, sensores conseguem identificar capturando a radiação de calor, convertendo aquela leitura em uma forma “gráfica”, traduzindo aquela informação em formas de imagens. Aquela referência comum que temos principalmente por conta dos filmes de uma imagem azulada e com borrões amarelos, verdes e vermelhos (veja imagem abaixo), é apenas uma tradução gráfica. Não quer dizer que a luz infravermelha tenha aquelas cores, é impossível para o olho humano captura esse aspecto.

Exemplo de visor de câmeras termográficas.

O sensor apetas captura a temperatura de cada região e cria escalas de cores para representar determinadas faixas de temperaturas.

O legal dessa tecnologia é que ela consegue um alto nível de precisão, e aponta diretamente as regiões de picos de calor ou quedo de temperatura.

Aplicações da câmera térmica infravermelho

Quantificar os segmentos onde essa tecnologia pode ser aplicada, pode se tornar algo bem cansativo, justamente por conta da enorme gama de setores que se beneficiam dela. Mas vamos pontuar os segmentos que já fazem uso regular da tecnologia de imagens IV.

Câmera térmica para eletrônica: Imagina contar com uma câmera onde pode apontar qual região do circuito eletrônico está com um aquecimento fora do comum, onde o técnico ou engenheiro terá que tomar medidas para conter aquela temperatura com um dissipador de calor ou até mesma a revisão do projeto. Consegue perceber como isso pode ser benéfico? O melhor de tudo é que existem equipamento voltados justamente para eletrônica. Multímetros e alicates amperímetros integrados a uma câmera termográfica.

Multímetro com câmera térmica IF

Câmera termográfica na mecânica: A aplicação dessa tecnologia em sistemas mecânicos é ótima para identificar pontos de atritos onde é normal a elevação de temperatura. Geralmente nesses sistemas o calor pode ser um grande inimigo, com o uso da câmera termográfica você pode fazer uma varredura rápida de uma grande área, indo diretamente no cerne do problema.

Exemplos de aplicações da tecnológica de câmeras termográficas IF

Termografia médica:  Atualmente preparadores físicos e profissionais da saúde, estão se tornando adeptos ao uso dessa tecnologia devido a praticidade e confiabilidade. Essa tecnologia permite um exame não invasivo ou radioativo como acontece em alguns exames laboratoriais e de tecnologias de raio-X. Atualmente ela tem sido empregada para identificar desordens neurológicas, doenças vasculares, reumatológicas, musculares, patologias ortopédicas e na medicina esportiva, urológicas e ginecológicas. Lembrando que não é qualquer modelo de câmera que é indicada para esse tipo de uso. Os fabricantes costumam ter modelos específicos para uso médico.

Tecnologia de ponta integrada ao seu Celular

Já imaginou um celular com câmera térmica? No mercado já existem produtos do tipo, com câmera nativa no celular. No entanto pode ser inconveniente investir em um aparelho tão caro sendo que nem sempre vai usar esse recurso dele. Ou até mesmo caso você trabalhe em equipe e precisa compartilhar o aparelho com outras pessoas. Pensando nisso existe a câmera térmica flir one, que é conectada via USB do aparelho, você pode desconectar ou conectar na hora que desejar. Câmera térmica iphone, câmera térmica android, exatamente! Existe a Flir one para os dois sistemas mais populares de celulares.

Mas caso tenha a necessidade de uma câmera térmica e não quer ficar refém do celular, existem os modelos de bolso, como o Fluke PTi120.

Fluke PTi120 – Câmera térmica de bolso.

Essa tecnologia é bem legal não é mesmo? Se ficou interessado e tem dúvidas sobre qual modelo escolher, dúvidas sobre aplicação e preços, entre em contato conosco!

Deixe um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.